se vai ao longe? ou nunca se chega? Em terras do Índico, vamos abrandar...
16
Jan 12
publicado por devagar, às 07:41link do post | comentar |

Só há pouco tempo percebi o que queria dizer a frase, que sempre pensei ser fruto de um qualquer delírio adolescente, apanhados pelo clima, de facto não é uma qualquer imbecilidade desprovida de sentido.

Eu explico: liga-se àquilo que neste blog se apelida de Tuga, ou seja, um ser que, sendo representativo de um certo Portugal, talvez pimba, provinciano, deseducado, deslumbrado, e fiquemos por aqui, não é representativo dos portugas em geral, só de uma facção.

Hoje, vou falar do Tuga macho, noutra qualquer altura falarei da Tuga, que também tem que se lhe diga.

Ora bem, o Tuga chega a Moçambique e é alguém, porque fala português e é branco. Estas duas características, de que usufrui por mero acaso geográfico e genético, dão-lhe aqui um certo relevo, que advém do passado colonial a par da ideia de que o branco - português ou não, mas a preferência vai mesmo para o português, por ser mais fácil a comunicação -  sabe muita coisa e paga melhor que os conterrâneos.

Então, o nosso Tuga depara-se com uma certa deferência, dão-lhe a passagem, tratam-no por boss, obedecem rápido às suas ordens, passa à frente nas filas, é atendido primeiro...e o Tuga fica deslumbrado. Depois veste-se de forma bem descontraída, porque o calor aqui aconselha isso mesmo, grandes t-shirts a tapar a barriga proeminente, calção abaixo do joelho e havaiana. E lá anda ele pelos cafés, sempre grande, espaçoso e...feliz.

                          Do filme O último voo do flamingo de João Ribeiro

Acontece, também, que lhe é fácil conseguir companheira(s), que gostam da forma como o Tuga as poderá tratar, já que por aqui abunda a promiscuidade e o pouco dinheiro para o sustento da casa, e a moçambicana que quer sair deste ciclo infernal sabe que apanhar um Tuga e dar-lhe uma volta apimentada...é uma estratégia de êxito.

Pouco depois de chegar, o Tuga já tem companheira, que lhe lava a roupa, cozinha e que com ele faz o que o Tuga nem imaginou exequível no vale dos lençóis, veste-se como gosta, anda nas patuscadas do churrasco e da cerveja ao fim de semana. Tem uma vida com que nunca sequer sonhou.

E nada disto aconteceu devagar.

Foi num ápice que ficou apanhado pelo clima.

tags:

Networkedblogs
mais sobre mim
Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
28

29
30
31


pesquisar neste blog
 
URL
http://devagar.blogs.sapo.pt
Follow luisa385 on Twitter
clustermaps
Live Traffic Feed
blogs SAPO