se vai ao longe? ou nunca se chega? Em terras do Índico, vamos abrandar...
05
Dez 12
publicado por devagar, às 10:44link do post | comentar |

Raros são os prédios desta cidade que estão reabilitados, até porque um prédio pintado, que é o que se vê aos poucos e muito devagar por aqui, se bem que com a fachada composta tem mazelas inetriores por vezes incuráveis. Circula informação de que há legislação preparada que obrigará os proprietários a responsabilizações várias, porém no papel, preto no branco: nada.

O parque habitacional é antigo, quase todo da época colonial havendo todos os problemas decorrentes da tecnologia de então.Também porque muitos dos prédios foram construídos por patos bravos - com a falta de sentido estético que lhes conferiu a alcunha depreciativa - que tiveram a sua época áurea a partir dos anos 60, aqui como na metrópole, e que o que queriam mesmo era o lucro rápido.

Então as canalizações, as fossas, as instalações eléctricas, os elevadores....tudo está muito velho sendo poucos os prédios onde os elevadores funcionam. É mais barato arrendar um 10º andar - onde não chega o barulho e a vista é soberba - do que um 1º andar, porque ninguém confia na manutenção dos elevadores e ninguém quer subir 10 andares com compras, ou quando se chega de viagem, ou ainda durante um dos cortes de energia com tudo às escuras... 

Outro dos desesperos da muita idade dos flats do Maputo é só haver uma tomada por assoalhada, que nos obriga ao recurso a extensões e mais extensões, sendo de espantar que os fusíveis aguentem todas as sobrecargas...até tento não pensar demais porque não fico muito tranquila.

É claro que prédio que se digne tem baratas.

Grandes e gordas.

No meu flat novo, agora limpo e a cheirar bem, também havia baratas.

E quando há baratas há que encontrar o antídoto - porque nada simples funcionará que elas já estão habituadas aos baygons - a solução é um pesticida que vem numa seringa, de altíssima toxicidade, e que vem, como quase tudo o que não presta, da China: Imidacloprid 2.15% Cockroaches Bait Gel.

Damos connosco a pensar que numa cidade tão poluída e tão porca onde a ecologia e a reciclagem só preocupam mesmo a minoria da minoria, mais poluente menos poluente...why not? Este raciocínio já me tinha auxiliado a dar cabo das baratas no apartamento onde antes morávamos.

Ora, encontrar o dito pesticida requer persistência e determinação, características muito minhas, que já desesperaram as minhas filhas (a mãe é mesmo chata), mas que me têm servido muito bem na resolução de problemas vários, que mais ninguém se dispõe a resolver.

De tanto perguntar, cheguei a uma situação em que recebi um SMS com o número de telefone de uma senhora que vendia o dito pesticida particularmente. Depois de lhe falar fiquei a saber que o negócio era doméstico e familiar (mãe e filha) uma vendia no Maputo e outra na Matola, nas respectivas casas.

Optei pelo Maputo e telefonei a pedir direcção e indicações.

O bairro é daqueles onde só digo ao meu marido que fui, depois de já ter ido. Não conheço muito expatriado que por lá ande com à-vontade.

Mas eu fui, porque a alternativa era continuar com baratas.

Tudo, absolutamente tudo o que eu perguntei, saiu exactamente ao contrário: onde ela me dizia que eu deveria descer, tive que subir, onde ela me dizia que deveria virar à esquerda, virei à direita, etc.  

Mas, lá está, eu sou persistente: já não tenho baratas em casa.

Como me dizia quem me vendeu uma gota em cada canto da casa e é tiro e queda.

Devagar, vou-me esforçando para esquecer este meu comportamento.

 

 


Sou leitora silenciosa do blog , e este post tinha mesmo de comentar.
Vivo em Luanda - já estou em Portugal para as festas de Natal - vou procurar isto como quem procura pão para a boca!!!
angela a 12 de Dezembro de 2012 às 13:10

Se calhar em Lisboa não há...deve ser proíbido pela legislação da UE, ou então no shopping 'étnico' do Martim Moniz, ou numa drogaria antiga de bairro...;)
devagar a 12 de Dezembro de 2012 às 13:19

E é só deixar no chão? Ou é preciso dar na boca com uma colherinha pequenina? Na boca da barata, claro.
Os bichos já são sobreviventes desde a pré-história. E agora, ainda por cima, resistentes ao Baygon, é assustador!
Dá assunto para um filme.
nando a 15 de Dezembro de 2012 às 10:55

Para quem queira comprar em Portugal, e parece estar disponível na UE, aqui vai informação sobre marcas:

Here are a few—Admire, Advantage (Advocate) (flea killer for pets), Gaucho, Mallet, Merit, Nuprid, Prothor, Turfthor, Confidor, Conguard, Hachikusan, Kohinor, Optrol, Premise, Prothor, Provado, Intercept, Winner, and Xytect.

Imidacloprid has many brands and formulations for a wide range of uses from delousing or defleaing animals to saving Hemlocks, Maple, Oak and Ash Trees.

Fonte: Wikipedia
nando a 15 de Dezembro de 2012 às 11:01

Não só a Angela como amigas minhas vão ficar agradecidas com as tuas informação. Aqui é caro, talvez em Portugal seja mais barato. (barato/baratas...ui!)
devagar a 15 de Dezembro de 2012 às 19:06

Networkedblogs
mais sobre mim
Dezembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


pesquisar neste blog
 
URL
http://devagar.blogs.sapo.pt
Follow luisa385 on Twitter
clustermaps
Live Traffic Feed
blogs SAPO